Caçador- Santa Catarina - Portal CDR - contato@portalcdr.com.br

Encontre no site:

MÉTODO

Parto humanizado do Maicé proporciona conforto ás mães e ás famílias

Entre as técnicas utilizadas estão o parto verticalizado, a utilização de música, trabalho com bola, chuveiro, entre outras

07/03/2018 às 12:40

Imprimir

Buscando cada vez mais proporcionar aos pacientes o alento e o conforto em seus procedimentos, o Hospital Maicé vem implantando técnicas que melhoram o atendimento e tornam as intervenções mais tranquilas e humanizadas.


Entre os procedimentos adotados está o parto humanizado via SUS, que oferece às gestantes alternativas para que ela se sinta mais à vontade antes, durante e depois do nascimento do bebê, preconizando o contato entre mãe e filho e tornando o momento ainda mais familiar.


A responsável por essa técnica no Hospital é a enfermeira obstetra Juliana Cauduro. Ela relata que o trabalho é desenvolvido há dois anos no Maicé. “A direção vem apostando nessa ideia, ampliando a infraestrutura e investindo na capacitação dos profissionais que atendem essas mães”, enalteceu.


Entre as técnicas utilizadas estão o parto verticalizado, a utilização de música, trabalho com bola, chuveiro, entre outras. “Estamos cada vez mais utilizando formas não farmacológicas para aliviar a dor. A mulher que vai para ter o parto tem estrutura adaptada para receber a família que nasce junto com o bebê”, destacou.


O Maicé possui um espaço, denominado Quarto PPP, que é destinado a esse tipo de procedimento. “Atendemos seis hospitais da região e a cada mês sentimos o aumento no número de mulheres que optam pelo parto humanizado. Buscamos transformar o parto em um momento tranquilo, confortável e preparado de acordo com o que é mais viável para a mãe”, disse.


Outra diferença no parto humanizado é o contato ainda maior entre a mãe e o bebê logo após o nascimento. “Se o parto foi tranquilo e o bebê não apresentar nenhum problema a mulher tem a chance de ficar com a criança no quarto. Neste momento, incentivamos a amamentação que ajuda a contrair o útero e diminuir as chances de hemorragia. Após cerca de duas horas a mulher já está preparada para voltar o alojamento em conjunto”, explicou.


Juliana cita ainda que um dos objetivos é aprofundar o sentimento familiar. “Priorizamos a presença do pai, a fim de valorizar a família que nasce junto com o bebê”, disse.


Com a implantação do parto humanizado, o aumento na taxa de parto normal foi significativo. “As mulheres estão se permitindo essa experiência. O percentual chega a 70% nos nascimentos feitos pelo SUS. O índice ainda é menor nos partos por convênio e particular. A média é de 110 nascimento por mês”, acrescentou.


Na semana em que se comemora o Dia Internacional da Mulher, a enfermeira obstetra destaca o privilégio concedido somente a elas: o de gerar um filho em seu ventre. “Ser mãe é uma oportunidade única e o nascimento é o encontro com ela mesma. A mulher quando tem um bebê se torna ainda mais especial. Com a passagem desta data é importante reforçar que as mulheres se valorizem cada vez mais e tenham pleno conhecimento do poder que elas têm”, completou. 

Espalhe essa notícia

Comentários

Comentários

Comentários com ofensas pessoais, de cunho político e palavras de baixo calão não serão publicados.

Nome:

Comentário:

 

Matéria retirada do Portal CDR - WWW.PORTALCDR.COM.BR

WWW.PORTALCDR.COM.BR | CONTATO@PORTALCDR.COM.BR